6.9.07

Literatura #1

Escrevendo a história do escultor, lembrei de quando levei seis meses para ler a Divina comédia, entre idas e voltas. O inferno é legal, tem ação, drama, suspense e terror; o purgatório é meia boca, até diverte em certos trechos, e o paraíso é —perdão, Senhor, juro que é só literariamente falando— um porre. Dante fez um baita anti-marketing do Reino de Deus.

6 comentários:

Carol Montone disse...

pois é querido...talvez porque ela saiba que o reino de Deus não existe fora dos domínios da nossa alma .....
e é nos inferninhos que a coisa pega fogo mesmo..haha...adoro coisas endiabradas...o diabo é o maior mito trasngressor né?
bom feriado...ee que desta cabecinha abençoada brotem mais e mais histórias para nós...beijos grandes Carol montone

MaxReinert disse...

huahauhua...pois ... com certeza que o inferno deve ser mais interessante... pelo menos, todas as pessoas que eu acho realmente interessantes, deverão ir pra lá!!!!

Vai ser um sofrimento conjunto e divertido!!!!

De Niro disse...

Olha amiguinho, eu estou há 3 anos nessa. Devagar e sempre. Já estuo quase na metade :D

Jana disse...

Você viu aquele filme "Um amor além da vida"? preferia me matar e ir pro inferno do que ficar naquele quadro sacal.

Carlos qualquer coisa disse...

Vixi! E eu que me achei o senhor caramujo por demorar duas semanas para terminar a divina comédia.

Tenho que rever meus conceitos e pegar mais leve comigo mesmo.

Carlos qualquer coisa disse...

Se bem que eu não trabalho, não saio muito de casa e estudo filosofia.

Isso deve ser um detalhe importante.