6.12.07

Réquiem a um sorriso

          em memória de minha avó Ester,
          de quem não consigo lembrar senão
          com um sorriso


Pena, vó,
os que lerem isto aqui
não poderem
ler nossas entrelinhas
(só nós sorriremos quando,
lá na frente, num outro verso,
eu escrever
"bicho besta" ou "tapaço"...)
     Sorrio ao lembrar de ti
sorrindo
(cara feia só fazias
ao meu café sem açúcar)
     Parece, vó, que
posso ainda visitar-te
para ouvir, interessado,
como anda tua vida
e o tique-taque do relógio da cozinha
     E depois pedir
as histórias de sempre:
a sapataria do avô Amaro,
o primeiro emprego do meu pai
e a gulodice do João Marra
     E então sorrir
recusando
um outro prato de arroz,
um pedaço generoso de goiabada
e uns tapaços para tomar jeito na vida
     E passear
com o Rafael, o Vitor e a Patricia na pracinha,
descer o morro aos solavancos,
colher para ti flores amarelas
e cantar a música da Nara Leão
     E sorrir
e rir
(como ríamos, vó!)
     Que bicho besta
é a vida!
Mas ela é só um instantezinho
e logo sorriremos
juntos de novo

* * *
p.s.: Minha avó faleceu neste fim de semana, em São Paulo. Por isso a falta de posts e o sumiço dos blogs amigos.

8 comentários:

Rob Gordon disse...

Sinto muito, Bruno. Mesmo.

Mas, se serve de consolo, o texto é lindo - independente de alguns elementos que apenas você e (talvez) seus familiares reconheçam.

Precisando de algo,é só falar.

Rafael Palma disse...

Pois é, chorei ao ler e ao lembrar coisas que somente os nós netos mais velhos lembraremos. Vó vou ter sempre em minha memória a voz de uma pessoa que estava sempre cuidando da gente...minha memória sempre vai guardar o últimos EU AMO VOCÊ que a senhora me disse...a poucos dias no telefone. Não pude te abraçar, nem te olhar...o tempo me tomou essa alegria, mas o tempo nunca via me tomar a alegria de lembrar dos nossos bons e muitos momentos juntos.

Rafael.

Anna Flávia disse...

chorei pensando no tanto que irei chorar quando esse dia chegar aqui.

meus sentimentos, bruno.

e ficou lindo e muito emocionante o que você escreveu.

beijo

Paulo Bono disse...

Sinto muito, Bruno.
Sua vó devia ser uma bela pessoa.

força
e um grande abraço

Aline e Marcelo disse...

Linda homenagem Bruno. Meus sentimentos à sua perda.

Bjm

Mariliza Silva disse...

Ela te deixou um legado lindo! Lembre-se disso quando tiver seus filhos, netos...

Sorria sempre. Mesmo agora, porque ela não foi embora, só mudou de lugar. mas está do seu lado sorrindo.

beijos no seu coração
Mariliza

Claudia Lis disse...

Bruno,

Que homenagem mais linda e merecida!

Aposto que de algum lugar D. Ester tomou conhecimento dessas suas palavras. Ela certamente está orgulhosa e tranqüila, pois sabe, que se depender de você, o posto de Contador de Histórias na família, continuará sendo muito bem representado. Assim como ela lhe passou esse (entre outros) ensinamento, não resta dúvidas de que cumpriu a sua missão, com suas atitudes e também transmitindo valores para as suas gerações próximas.

Meus sentimentos pela perda da sua avó. E deixo um forte abraço de conforto.

ZANATÓRIO disse...

Poxa Bruno, fazia tempo que não vinha até aqui, e me deparo com um post desse, é amigo é a vida, mas que linda a história...bjus