18.3.11

... e a nova rotina

Da minha casa nova, venho caminhando até o trabalho. São vinte e cinco minutos por ruas arborizadas, sabiás, uma praça, meia dúzia de vira-latas amistosos, uma velhinha regando margaridas e duas entradas de escolinha infantil.
     Hoje –só o intervalo entre um passo e o próximo–, vi o sol se levantando entre dois pinheiros no quintal de uma casinha de madeira. E acabo de me dar conta de que isso é tudo o que precisava escrever neste post.

11 comentários:

Natalia Máximo disse...

Que lindo.
E que saudades. =D

Otavio Oliveira disse...

Esse Bruno....

maria elis disse...

eu também faço isso, gosto de reparar nas coisas e nos acontecimentos *-*

beijas, moço :*

Lubi disse...

eu estou muito muito muito feliz por você!

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Espero que tenha tirado uma foto =P

Se não é só me levar pr caminhar com voce quando estiver aí

Dona Cor disse...

Menina que feliz, pois da minha casa pro 'trabalho', existe uma sentena de ladeiras insuportavel onde geralmente faz calor demais ou chove dmais. Um monte de motoboy desgovernado e um monte de pedreiro mal educado. hahah

Sortuda!Seguindo ;)

Nathalia disse...

as vezes quando você acha que as coisas já estão boas o suficiente acontece algo a mais para te surpreender.

Anônimo disse...

Ai que lindo meu filho! Seu estilo de escrever é único. Você é único! beijos

Denis disse...

Na verdade não precisamos de muito mais do que isso para viver...

ex-amnésico disse...

E a quem diga que não há justiça nesse mundo: um caminho assim existe e existe quem repare nele...

Dá-lhes, Bruno! ;)

Abraço mnemônico.

Bio \o disse...

Oi. É a primeira vez que comento, mas já acompanho o blog há um tempo.
Moro em brasília e hj fiquei sabendo de uma coisa muito maneira, a respeito do blog, especialmente o texto do Zwkrshjistão.
Se possível gostaria do seu email, pra explicar a história direito e mandar os devidos links.

Abraço!