11.2.07

Uma noite e uma manhã

Ontem à noite, quando saia da lan house, uma moça simpática me puxou pelo braco e entregou o folheto do restaurante dela, logo em frente. Entrei.
     E que lugar legal. Super aconchegante, com lareira e mesas iluminadas por velas. Quem diria que eu jantaria à luz de velas, na Bolívia!
     Tomei uma sopa deliciosa de milho enquanto conversava com o garçom que - surpresa! - morou por dois anos em São Paulo. Depois começaram a tocar e cantar dois argentinos. Me senti um cidadão do mundo, a milhares de quilômetros de casa, com gente do mundo inteiro, ouvindo música argentina e comendo comida andina. Pedi até uma cerveja, a famosa Paceña. É boa, um pouco mais aguada, mas tem sabor melhor que as do Brasil. O garçom me disse que foi eleita a segunda melhor cerveja do mundo, não sei se é conversa dele.
     Acabei descobrindo que a avenida onde eu estou hospedado é um reduto de barzinhos e restaurantes, um mais charmoso que o outro. Aqui é lugar de gente bonita, a maior parte dos turistas são jovens e à noite a cidade - pelo menos a calle Seis de Agosto - é bem movimentada.

* * *

Hoje o dia amanheceu chuvoso. Achei bom porque assim descanso um pouco e nao me queimo mais de sol - estou vermelho que nem um alemão.
     O pessoal aqui acorda tarde. Às 9h00 não encontrei nenhum lugar para tomar café. Acabei comprando duas salteñas de uma chola na rua, petiscos que dividi com um vira-lata que virou meu amigo.
     Fiquei ali, sentado na sarjeta, com o cachorro do lado, olhando para o lago. Dá uma paz enorme. Dali a pouco veio o menino que cuida do hotel conversar comigo. Fez mil perguntas sobre o Brasil.
     O legal aqui é que todos te tratam com amigo, inclusive no linguajar. É "hola, amigo", "buenos dias, amigo" e "gracias, amigo" para tudo quanto é lado.
     Depois de cinco dias de viagem, ya me quedé boliviano de corazón. ¡Viva Bolivia!

* * *

Pai, eu terminei de ler ontem o livro do Amyr Klink. Comprei no aeroporto enquanto esperava o vôo. Olha, fiquei inspirado, viu?
     E, mãe, estou com saudade. É chato chegar em "casa" à noite e nao ter você para conversar.

7 comentários:

Monize disse...

E agora?! Lendo livros do Amyr Klink!!! ninguém segura mais esse menino!
Ja ta planejando a próxima aventura? huahauhauhauha
Boa sorte amigo!

Isadora disse...

que inveja, viu !!!
um dia eu ainda faço isso...

aproveite, aproveite MUITO !
e traga milhares de fotos, eu quero ver !

=]

preto disse...

se quiser dar uma esticadinha até a cidade peruana de "angamos", fica a apenas meia hora de onde eu estou agora!!

MA disse...

Rapaz com este convite do pretinho eles vão unificar as coroas do jerico.... meudeus...

que dizer que tá vermelho feito um peruzinho? hauahauahuahauahua...

Aproveite a viagem

Recka disse...

hehe tem sido muito bom acompanhá-lo nesta viagem amigo... por favor não pare pois estou me divertindo muito.

CArolina disse...

Bruno, fiquei sabendo o q aconteceu, malditos ne!
Mas va no consulado resolver o seu passaporte e veja se nao da pra ir pro PEru...

mh disse...

Rapaz... Essa viagem se tornou minha novela preferida... Vou ficar muito triste quando acabar! hehehe Aquele abração. E isso mesmo!! Mande mais recados pra sua mãe!!!