11.2.07

Turismo religioso

Depois do café da manhã na sarjeta com meu amigo vira-lata, dei uma caminhada à beira do titicaca. Mesmo nublado, é uma bela visão. Uma neblina envolve as montanhas, fica tudo com um ar meio bucólico. Aliás, "bucólico" é a palavra para descrever o campo aqui em volta da cidade, com murinhos baixinhos de pedra e flores plantadas. Parece que a vida ao redor do lago é mais fácil, tudo é mais verdinho.
     Depois fui à Basílica de Nuestra Señora de Copacabana. Tirei meia dúzia de fotos por fora e entrei. Não tenho como descrever meu choque. Foi a visão mais magnífica que eu tive em toda a viagem. A parede do altar-mor tem coisa de uns 15 metros de altura, toda em ouro, trabalhada com motivos barrocos. Bem ao centro, num lugar que de mais destaque não poderia ser, está a imagem da Virgem de Copacabana, dentro de um relicário de prata. É lindíssima, com um manto que cai drapejado até quase tocar o sacrário. Devia ser missa solene - domingo de manhã -, e cantava um coro de crianças, que eu bem acreditaria serem anjos.
     Coincidência ou não - eu, particularmente, não acredito que tenha sido -, a missa estava começando naquele exato momento. E eu nem tinha visto horas, nem nada! O ritual é o mesmíssimo do Brasil. Não entendi tudo que o bispo falava, mas respondia em português porque sabia que parte da liturgia estávamos. Rezei o Pai-Nosso também em português - aprendi só a Ave-Maria en español -, bem baixinho para ninguém reparar.
     Cá entre nós, o povo me decepcionou um pouco. Entram e saem o tempo todo. Grande parte fica sentada durante toda a missa. E dos que ainda têm a consideração de se levantar, só uma parte se ajoelha na hora da consagração. São apáticos, não respondem as orações e não prestam atenção na homilia. Mas enfim.
     Ah, também para minha decepção, havia um cartaz bem grande: prohibido sacar fotografias. Respeitei. Azar de vocês, que não verão como é lá dentro. Eu guardarei a imagem para sempre na memória, e num lugar bem especial.
     Depois da missa, fui à capela das velas e acendi uma, rezando pelo nosso povo brasileiro. Dei esmola a duas cholitas que pediam na saída.
     Almocei e fui subir o Cerro Calvario. Uma montanha onde existe uma via sacra, com as 15 estações da paixão de Cristo. Fiquei orgulhoso porque subi no maior fôlego, rezando e deixando tudo quanto é boliviano e gringo para trás. Mas, claro, tive que parar uma ou duas vezes para tomar um arzinho. É pedreira!
     As estações não chegam a impressionar muito. São umas cruzes de pedra em cima de pedestais onde se lê o nome da família que a ofertou. Pelo que vi, os peregrinos sobem o Cerro desde o século XIX. Antes de chegar na 15a estação, dá-se um intervalo e a gente pode ver altares com as sete dores da Virgem Maria. Lembrei da minha mãe.
     A décima quinta estação, a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo fica bem no ponto mais alto do morro - também o ponto mais alto da minha viagem, 4400 metros acima do mar. Uma cruz enorme, com centenas de velas queimando em baixo. Me emocionei.
     Lá em cima, a paisagem compensa qualquer sacrifício. Tem-se uma visão privilegiada da cidade e de todo o lago. Até onde a vista alcança, é um azul sem fim. Lá longe, a Ilha do Sol, e na outra margem - que não se pode enxergar -, o Peru. É de perder o fôlego. Se bem que fôlego, já o perdemos na subida.
     Enquanto eu tirava minhas fotos, começou a chover. Ainda bem que não era granizo dessa vez. Lá em baixo, as gotas da garoa se juntavam às serenas águas do Titicaca.

6 comentários:

Rafael Palma disse...

Legal. Agora é voltar para o Brasil e organizar as seções de fotos e histórias. Até a noite...vai ser te ver novamente.
Seu irmão!

Monize disse...

Conseguiu trocar as passagens menino!!! Que bom!!! Teve que jogar muito charme na atendente? hehehehehe
Vou ficar esperando pelas fotos e histórias aqui! Até pago os 5,00 se vier com o CD hehehehe
Beijos!!!!!

MA disse...

Mas subiu o morro num folego só???? Tinha que para em cada estação e rezar um terço... ai sim....

Uqnato a missa.... no fim aquela tiazinha que falou do brasil estava certa....

Agora vc podia começar a liberar as fotos né!?

Vanessa disse...

Oi!
Que bom que estás bem e voltou a dar notícias. Estávamos preocupados com os últimos acontecimentos.
Abraços.

Denis disse...

¡Caraho! Después de tanta aventura tinha q fazer um retiro religioso mesmo... T+!

mh disse...

Interjeição!