29.3.07

Desencontros

Ela vinha descendo a rua. Avoada, pensava na vida, cabeça de mulher. Bonita, feminina, atraente, essas coisas. Inteligente, adorava arte e sabia tudo sobre café. Ia a confeitarias e reproduzia as receitas em casa no fim de semana. Gostava da cumplicidade, da troca de olhares, dos segredinhos em comum, de dançar coladinho. Fazia yoga e viajava quando podia.
     Ele vinha subindo a rua. Olhava, mas não via nada, cabeça de homem. Boa pinta, bem vestido, perfume, essas coisas. Culto, gostava de literatura e entendia de vinhos. Apreciava boa comida, sabia cozinhar alguma coisa. Gostava da provocação, do flerte, do beijo no cantinho da boca, de oferecer rosas, deixar bilhetinhos. Lutava boxe e acampava quando podia.
     Ela chegou na esquina. Perguntava-se onde arranjaria um homem bonito, mas não assim comum. Um cara que se interessasse pela sua vida, que visitasse sua família aos fins de semana sem fazer cara feia. Que a levasse num lugarzinho charmoso e falasse sobre música e poesia, mas também roubasse um beijo, de sopetão. Refinado, sensível, mas másculo como homens devem ser.
     Ele chegou na esquina. Queria saber se um dia conseguiria uma mulher bonita, mas inteligente, de personalidade. Uma assim que gostasse das suas coisas, que lhe acompanhasse num passeio no parque com o cachorro. Que lhe provocasse e deixasse as coisas no ar, mas também sorrisse com doçura quando ele a olhasse nos olhos. Firme, decidida, mas feminina como mulheres devem ser.
     Ela parou para esperar os carros. Gostava do último namorado, mas acabou desiludida. As amigas ajudaram, chorou até esquecer. Ia sozinha ao cinema e sentia a falta de um ombro onde se acomodar durante o filme. Imaginava quando conheceria o homem que a faria pensar em filhos.
     Ele parou para esperar os carros. Era apaixonado pela última namorada, mas ela o acabou deixando. Consolou-se sozinho, esqueceu. Saía com os colegas depois do trabalho e invejava de longe a felicidade dos casais. Pensava se um dia voltaria a fazer planos ao lado de uma mulher.
     Os carros pararam e ela atravessou. Olhou, preocupada, para a esquerda, para certificar-se que os carros não avançariam. Não viu o homem atrapalhado que passou ao seu lado.
     Os carros pararam e ele atravessou. O celular tocou e ele atrapalhou-se procurando o aparelho no bolso. Não reparou na mulher preocupada que passou bem ao seu lado.
     Ela continua duvidando que exista um homem que valha a pena. Ele continua não acreditando em alma gêmea. E vão andando por aí.

21 comentários:

*CLara* disse...

Toc...toc...toc, posso entrar?!
Tem alguém aqui?! rs

Olá, sou a CLara. Vim conhecer seus acepipes escritos, e nossa, eles são tão gostosos quanto os acepipes "comestíveis". Parabéns.

Esse post retrata tantas verdades, não é?

Às vezes, fico pensando nisso. Quantas e quantas pessoas passam pelas suas almas gêmeas e nem se dão conta.

Pergunto-me se a vida, as colocará frente a frente outra vez!!
Tomara que sim...

Beijinhos, moço.

MA disse...

já dizia o poeta: a vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida...

Mariliza Silva disse...

ARRRRGHHH! e o pior que isso deve tá acontecendo agora mesmo com um monte de gente! Eu mesma já devo ter passado na mesma calçada do meu grande amor! Devo ter passado por ele, rezando para encontrá-lo. Deus deve tá rindo de mim agora: "Poxa, você pedi, Eu te obtenho e você passa sem nem olhar.." rsrsrsrs
As pessoas deviam ter sinais luminosos para disparar quanto topar com o destino, né!
Um beijo meu amigo e adoro sempre quando vejo seus comentários no meu blog. Adoro ver sua foto olhando pra cima!
Mari

Jane Malaquias disse...

Pois eu quando procuro um namorado viro um radar, meu olho biônico escaneia tudo ao redor por onde passo, posso até morrer atropelada...

Raquel Labarca disse...

Tudo verdade, mas um dia hão de se encontrar.

Foi assim comigo e meu namorido.

Bjs

Nilza disse...

Oi..

Cheguei até vc pelo blog da Caroline e adorei. Suas histórias são muito bem escritas e a criatividade é a 1000..rs Muito bom.

Voltarei sempre que puder ok?
Beijos

dän disse...

nossa, fiquei impressionada agora, me identifiquei MUITO com esse conto! tudo a ver...rs. TUDO a ver! é o meu momento todinho! fiquei feliz com seu comentário sabia? eu posso te linkar? nao precisa retribuir, nao sou dessas chatas q linkam para poder ser linkada tb, acho q ja passei da idade! hahahaha... mas deixe eu te linkar, vai..! continue me visitando!

Cissa disse...

Baseado em fatos reais, ahahahaha.
P.S.: essa Jane é muito legal.

Isadora A. disse...

o texto inteiro é ótimo, mas o começo, as descrições dos desejos homem-mulher/mulher-homeme são FABULOSAS.

achei que nunca ninguém ia conseguir descrever também tanta coisa que a gente quer. ou ao menos, que eu quero... e tenho.

cada vez melhor, e cada vez, eu me apaixono mais !

:)

Julio Camara disse...

Por favor,tem como vc trocar o link do meu blog por outro?

o novo link eh

www.jscamara.blogspot.com

Daniel Guimarães disse...

legal teu blog...tão perto e ao mesmo tempo tão longe... isso acontece aos montes....

Menina Punk do Cérebro Verde disse...

Cara e vc que cria isto.
Que show.
Adorei seu post.
Volto mais vezes com certeza.

Juliana Marchioretto disse...

pois é..
eles precisam da ajuda da Amélia Poulain..

bjo

Jefferson P. disse...

Ando meio assim... me perguntando .. onde?, onde?
Talvez por eu ter me atrapalhado entre tantas... acabei por deixar passar a metade da laranja.

Abrçs.


PS: linkei seu espaço no 6°sentido literal... espero que n~ se importe.

dän disse...

vim dizer oizinho!
obrigada por ter linkado :)

Luana disse...

meu Deus :~ que coisa lindaaaaaaa
vai ver isso ja tenha acontecido comigo e eu nem sei, vai ver ele ja tenha passado por mim e nem notou!

Texto maravilhoso!
Parabéns

:**

Alf. disse...

Cara dessa vez vc se superou... Muito pronfundo e singelo ao mesmo tempo... Me veio a cena do filme "Efeito Borboleta" quando terminei de ler e claro a musica do oasis pra acomapanhar o desfecho do texto e do conceito momentâneo gerado...

Muito roxx cara! continua assim vlw?!

LuccyInTheSky disse...

Desencontros... Sera que eu ja encontrei e desencontrei a minha alma gemea?
Lindo blog...
Bjokas
Lu

Diva disse...

Encontros perdidos... desencontros achados... e assim anda a humanidade.
Bjs meus

Eli(Ane) disse...

Quando eu crescer quero escrever como vc...rsos.

*CLara* disse...

Vim dar beijos de boa semana...