18.7.08

Dia-a-dia #6

Bonança nada: depois da tempestade vem sempre o trabalhão para limpar a sujeira que a enxurrada carregou para dentro de casa. Enfrentei uma crise de criatividade e apatia que dá sinais de ter passado, mas agora estou com o problema do pós-enchente: no meu pendrive, pasta "textos incompletos", existem 23 arquivos. Aos poucos vamos dando fim em tudo.

7 comentários:

Deva_neios disse...

Bonança parece ser uma boa palavra para resumir o estado. Bonança de trabalho, de afazeres... um turbilhão

Lilith disse...

Que bom que vc VOLTOU!!! Ja estava sentindo falta! Passo aqui todos os dias, te add aos meu favoritos, então vai lá! Volta com tudo pq vc tem o dom!
Bjs

Tyler Bazz disse...

Tá, a gente espera.
Mas não abusa da paciência...

denis disse...

tem q ver o "copo meio cheio", meu amigo...

o amnésico disse...

Vinte e três textos incompletos, que maravilha! A volta promete!

E, he-he!, dar fim em tudo é uma maneira bem interessante de se expressar! ;)

Abraço mnemônico.

Diego disse...

Artistas não devem ser apressados :P

Claudia Lis disse...

Bom você tocar nesse assunto. Não sei se isso ocorre com você (espero que não), mas no meu caso, os meus incompletos geralmente não se completam. Depois que passa um certo tempo do surgimento daquela idéia (ou do fato), é como se o feeling se dissipasse. É estranho, mas ele se perde e eu deixo de sentir a mesma sensação da época em que comecei a escrever o texto. Inclusive, já até deletei alguns, de tão chateada que fiquei por não conseguir resgatar o espírito da coisa (digamos assim) ao tentar completá-los. Humpf...

Um dia estava discutindo sobre isso com uma amiga e ela já me veio com um outro conceito. Ela não costuma deixar textos incompletos. Escreve tudo até o fim e deixá-os de stand by, para postá-los naqueles dias em que a inspiração expira, sabe?

Ah, mas depois de ler o seu "Dia-a-dia", e saber dos seus 23 textos incompletos (nossa, haha...), tentarei dar uma atenção especial aos meus por aqui.

=)