22.8.08

Teoremas do Tenório

Outro dia alguém viu o comercial do especial do Roberto Carlos na tevê e perguntou irônico se "Putz, alguém ainda ouve esse cara?". O Tenório, fã assumidaço, respondeu, ressentido:
     — Se alguém ouve? Ele é o Rei!
     Até aí tudo bem, era só um admirador defendendo seu artista predileto. A coisa saiu do controle foi quando ele resolveu aprofundar o assunto. E foi aí que surgiu o que foi batizado pelos amigos de "Teorema do Tenório", tese que rendeu muito papo por muitos encontros nas mesas de bar da vida.
     A princípio é tudo muito simples: sustenta o Tenório que todo brasileiro gosta do Roberto Carlos. Pode ser velho, novo, homem, mulher, preto, branco, o que for. Todo brasileiro. Todo.
     Claro que nem todo mundo engole assim, fácil. Mesmo porque se todo mundo dissesse "ah, mas com certeza" o Teorema de Tenório não renderia um bom papo de bar. Então, sempre que ele enunciava, orgulhoso, alguém tentava derrubar a certeza do Tenório.
     — Sai fora, Tenório...
     — Opa, não me inclua nessa!
     E então é que se desenrolava toda a dissertação: todo brasileiro gosta do Robertão. Mas nem todo mundo admite, e aí mora o xis da questão. É só ver: quando passa o especial de fim de ano, o pessoal —menos o Tenório e seus colegas de classe— faz cara de nojinho, diz que é brega, que é sem graça, que é música de tia velha e coisa e tal.
     Para o Tenório, todos os que faziam cara feia para o especial do Rei e deixassem a sala para buscar algo na cozinha iam, na verdade, mastigar um trechinho dele. Escondidos, claro. Era quase uma teoria da conspiração. Porque um ponto central, um dogma, no Teorema era esse: todos sabiam um trecho do Roberto Carlos.
     E, de fato, todo o pessoal da roda sabia alguma. Podia ser aquela das emoções, a do calhambeque, a da estrada de Santos ou aquela outra da Nossa Senhora. A ala romântica tinha de admitir que, alguma vez na vida, já disse como é grande o amor por alguém, e os radicais, que já mandaram tudo o mais para o inferno. O Tenório filosofava:
     — Diga qual verso do Roberto te vem primeiro à cabeça e eu te direi quem és.
     E continuava:
     — Imagine a situação: você chega em casa, depois de um dia de serviço, abre a porta e dá de cara com o Roberto Carlos sentado no sofá da sala. Você ia deixar de pedir uma palhinha? Ia deixar de correr, pegar a câmera no quarto e tirar uma foto com o Robertão? Com o Rei? Eu respondo por você: não ia, não.
     Outro argumento dele era:
     — Bom, é só ver quem o pessoal imita por aí. Nunca vi ninguém tirando sarro de nenhum roqueiro, pagodeiro e nem sertanejo. Muito menos de DJ. Agora a risadinha marota do Rei e o "são tantas emoções" todo mundo já soltou uma vez na vida. Isso é carisma. É que nem imitar o Silvio Santos.
     Pois é, não tinha quem pudesse desdizer o Tenório. Todo mundo sabia um pedaço de música do Robertão, todo mundo já tinha imitado o Rei: todo mundo tinha que dar o braço a torcer. E um dia, numa dessas, ele emendou:
     — Aliás, eu também estendo minha teoria ao Silvio Santos. Que atire a primeira pedra quem nunca se imaginou ganhando barras de ouro que valem mais do que dinheiro!
     Foi aí que nasceu o segundo Teorema de Tenório.

18 comentários:

Julia disse...

HAHAHA!
Muito bom!

Não gosto do Robeerto Carlos, mas tenho que admitir que gosto sim de algumas músicas dele!

Stephanie disse...

mas é porque o Roberto foi profético quando cantou "não adianta nem tentar, me esquecer/ durante muito tempo em sua vida/ eu vou viver / detalhes tão pequenos de nós dois/ são coisas muito grandes pra esquecer/ e a toda hora vão estar presentes/ você vai ver"

é neste tipo de detalhe que algumas músicas dele se embrenham e se tornam parte do repertório sentimental de pessoas que - mesmo achando aquela risadinha e o especial de fim de ano breguíssimos (de fato são) - acabam descobrindo que há uma letra de RC que diz algo que cabe em algum momento de sua vida.

agora, quem vai dar razão ao pobre Tenório e confessar uma coisa dessas?

beijo

caicko disse...

O Tenório tem que publicar essas teorias... ou teoremas, enfim!!! Ou "Tenoremas"??? Muito bom. Abração

Estrela disse...

Concordo com a "teoria". Quando a gente não gosta é completamente indiferente, mas acho que todos, todos mesmo, sabem pelo menos um verso do Roberto...Confirma a teoria.
Visitei o "acepipes fotográficos". As fotos são tuas? Se sim, me autorizas a tomar uma delas emprestada?
Abraço!

Pathaua Brasil disse...

putz, confesso, gosto do Rei.

Tem uma dupla que canta nuns barzinho aqui, que chama "Roberto E Carlos", nossa, fui ver uma vez... cantei TODAS, balancei os braços, bati palmas, affe!

No fim, um amigo que não queria ir junto de jeito algum, tava abraçado com a galera cantando "é preciso saber viver..."

João Eduardo Q. C. disse...

Roberto e Silvio são fardos artísticos. Quem mandou dar um título de rei pra um e a concessão de um canal de tv pro outro? Agora aguenta. Ah, e muitos "Tenórios" desconhecem que muitos dos grandes sucessos românticos do Roberto são composições da falecida Isolda e do Erasmo Carlos e que se imaginar ganhando barras de ouro do Silvio não passaria de uma "devolução contumaz" do dinheiro que ele conseguiu tirar das nossas avozinhas e mãezinhas ludibriadas por anos e anos, trocando seus carnês do Baú pagos tão sacrificadamente por um conjunto de copos de vidro, uma toalha de mesa,ao término de 12 parcelas, o que é bem diferente das geladeiras, fogões, máquinas de lavar, tvs, que as propagandas (enganosas) dele costumavam alardear.
E o Roberto é tão acessível, né? Ele é um artísta que sempre vai onde o povo está: o povo que pode pagar uma pequena fortuna pra subir num navio cruzeiro, é claro.
Ôooooooo, malas dus infernus!

Bruno, bom fim-de-semana!

João Eduardo

Rejane Oliveira disse...

Olá,

não sei, esse tenório me deixou confusa, eu jurava que nem gostava do Roberto Carlos, mas agora estou até pensando em entrar para um fã clube dele...rsrs (mentira)

Mas a toeria do Silvio Santos concordo com ele, já imaginei várias vezes eu ganhando aquelas barrinhas de ouro.rs

bjos

Lilith disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Teorema do Tenório!!!kkkkk

A própria rima em si ficou comica! Agora, em se tratando do que ela trata, aí é mais comico ainda!

Bonito de ver essa devoção do Tenório ao "Rei", pq tem aquela coisa de nostalgia brega, um lance total "retro",que ele abre o peito e mostra sem medo de ser feliz,e até faz a gente refletir sobre o Teorema! kkkkkk

Bj imenso

P.S- Passa lá no Amores amanhã que vc será citado no meu Post, por total merecimento...kkkkkkkk

Bruxx disse...

Oi amado, como vai?
Então...
Eu sou suspeita pra falar sobre o "Rei"... já que sou uma fã, incorrigível, dele.
Ouço Roberto desde que me conheço por gente.

Mas... (sempre tem um mas)... confesso que não gosto do período em que ele começou a homenagear esse ou aquele... do tipo: mulher gorda, taxista, caminhoneiro, mulher de 40, etc...
Mas, as canções em que ele fala de amor... aquelas que bate uma "dor-de-corno... ah, essas me deixam inebriada.
Sem contar as delícias de músicas da jovem guarda, bem humoradas.

Sou membro do site oficial dele, tenho todos os discos, coleciono vídeos e tal.
E, como "quem é rei, nunca perde a magestade", creio que ele vá se manter nesse patamar, por muito tempo ainda.

Beijokinhas.
É sempre uma delícia, ler as preciosidades que vc compartilha conosco.

Dani Fontana disse...

E não é que este TEOREMA DE TENORIO faz pensar?! Não gosto do Roberto, porém já publiquei a música "Detalhes" em meu blog!

Não adianta, quando se trata de amor, não importa quem canta ou como canta, o que importa é como a música nos fala ao coração.Né?

E sim ... tem dias em que só um PQP resolve! rs

Adoro seu blog! ;)

Magnum Opus disse...

Eu gostaria muito de assistir o longa "Roberto Carlos a 300km/h" em que ele dirige um Dodge Charger R/T! Stylera total uaheuaheauhea!

Larissa Bohnenberger disse...

Ahahahahahahahahahaha...
Esse Tenório...
Na verdade, o meu problema com o Roberto Carlos é basicamente ele. As músicas não me incomodam, de algumas até gosto. Mas prefiro quando cantadas por outros artistas, pq aquela voz de taquara rachada ninguém merece. Ahahahahah!
Agora, só uma rebatida no primeiro argumento do Tenório: Saber cantar algum trecho do RC não significa nada. Se for assim, então eu adoro música Gospel, pq tenho um vizinho que me acorda todo domingo com canções falando de Jesus em volume ensurdecedor, e, infelizmente, depois de alguns meses passando por isso, acabei decorando várias! Ahahahahahahahahaha!
Bjs!

Daniele V. disse...

hehehe! Aqui em casa, or reis da musica sao Caetano veloso e Roberto Carlos (o segundo, por parte de mae)
E ai de quem negar que nunca gostou de Caetano veloso!

Lais Mouriê disse...

Eu gosto. E ponto.
Corroboro o teorema do Tenório. hahaha
Bjão

Priks disse...

Eu acrescentaria a discussao...a novela...pois esta e RC todo mundo gosta...mas esconde...

Adorei seu Blog

agora voltarei sempre...

o amnésico disse...

Assim como o Elvis, só curto a fase 'pré-exército' do 'rei'.

Mas quem nunca teve seu dia de Tenório que atire o primeiro teorema!

Fabi disse...

Hahahaha
Muuito legaal mesmo! Me feez rir aqui!
Me admiro com a sua criatividaaade!=D

Tyler Bazz disse...

Se essa lista se estender ao Clodovil, temerei.