16.12.06

Política

Afobado, Deus pulou rápido em terra firme e jogou duas moedas ao barqueiro. No canil ao lado, um monstruoso cachorro de três cabeças ganiu, com o rabo entre as pernas. Uma comitiva de anjos corria atarantada para acompanhar Seus passos largos.
     Decidido, Ele passou pelo portão e foi direto ao prédio mais alto, de janelas espelhadas, bem no centro do lugar. Uma porta de vidro se abriu, automática, e Ele ignorou o balcão da recepção. Os seguranças nem ousaram detê-Lo. Tomou o elevador, desceu no último andar e empurrou as portas duplas do escritório do presidente, sem esperar que a secretária O anunciasse.
     Se Deus não fosse perfeito, teria inveja da sala em que entrara. Quando Ele criou a palavra "elegância" não imaginou que a coisa chegasse a esse nível. Tudo de muito bom gosto, de primeiríssima qualidade. A mesa, enorme, ficava em frente a uma janela ainda maior de onde se tinha visão panorâmica de todo o lugar. Uma cadeira de couro estava virada para lá, de costas para a porta, e por um segundo o Criador pensou que não tinha sido notado. Então, a cadeira virou-se lentamente em Sua direção. O anjo sentado de pernas cruzadas vestia um terno preto, debaixo de sete capas de linho também pretas. A aparência era impecável: chifres polidos, cascos engraxados e cada fio da barbicha aparado com cuidado.
     — Lúcifer, precisamos conversar.
     As mãos finas do diabo seguravam um charuto e um copo de uísque. Ele soltou uma baforada e levantou o copo, em brinde:
     — Nossa, Senhor, é uma honra tê-Lo aqui. Bebe alguma coisa? Talvez um charuto?
     — Não, obrigado. Eu só vim tratar de negócios.
     — Mas sente-Se, fique à vontade. Vou aumentar o ar condicionado, que o Senhor parece com calor. Há quanto tempo, não é mesmo?
     — Desde que você caiu.
     — Uau, tempo mesmo... E como andam as coisas lá em cima?
     — Vamos levando, mas não é sobre isso que vim conversar.
     — Se for sobre o que fizeram com o Seu filho, eu...
     — Sejamos diretos: é o Brasil, Lúcifer.
     — Bem, Senhor, eu tenho aqui todas as liberações para a venda de prostitutas, e o tráfico de drogas, se não me engano, já está em vias de...
     — Não, não é isso. É sobre os políticos do Brasil.
     — Olha, Onipotente, eu pensei que tinha autorização para atuar na tentação pelas secretárias...
     — Até aí Eu permiti. Mas é que são os políticos, o mensalão, as ambulâncias, essas coisas. E agora ainda um aumento!
     — Não sei de nada, Todo-Poderoso.
     — Como não, Lúcifer? Eu te conheço, seu safado. Você vai acabar com o país em que eu tenho mais Ibope. Ainda com o resto, Eu dava um jeito, negócios são negócios, mas você jogou muito sujo nessa. O povo está desacreditando, o povo vai perder a fé!
     — Vou mandar e-mail para o Nero e o Adolf, mas posso quase garantir que isso não é coisa da minha diretoria.
     — Ah, você e suas mentiras... Você vai me arruinar, Lúcifer! Diabos!
     — Não, Senhor. Não estou mentindo. Lá em Brasília que inventaram isso tudo, eu não tenho nada a ver.
     — Lúcifer...
     — Juro pelo Senhor! Foram só eles. Sozinhos!
     — Então isso tudo é coisa deles? Olha, nessas horas que Eu me arrependo...
     — Pois é. E, veja bem, não é para puxar saco, não, mas eu também me escandalizei, Altíssimo. Pesado demais. Eu ainda fico só naqueles sete de sempre: um pecado da carne ali, uma invejinha aqui, raiva, orgulho, essas coisas. Mas isso eu acho sacanagem. A gente ainda mantém uma certa decência aqui no inferno, senão vira bagunça. Porque, se eu não me cuidar, logo, logo eles chegam aqui e eu estou lascado!

9 comentários:

Bruno disse...

Me desculpe quem leu esta no blog antigo, mas eu não resisti a mudar um pouquinho e reeditar, depois das últimas de Brasília...

MH disse...

Interjeição! Leitores voltando à ativa!

Recka disse...

Pois alguns segundos pensei estar tendo um "deja vu" hehehe...

E Fabrício, aqui não é lugar de interjeições, é um lugar para COMENTÁRIOS...

D. Avellar disse...

eu lembrei vagamente...

MA disse...

já que voc~e fez umas alterações podia ter colocado o pinochet na diretoria tb... agora ele vai vir puxar seu pé...
Apesar de velho atual

Trasgo disse...

HAhahaha

Muito boua.

Maurício disse...

Muito boa mesmo essa. Tbm achei uma vergonha essa porcaria de aumento. Enquanto a gente se fode aqui de trabalhar os bonitões ganham 90,1% de aumento, 13º e 14º, fora os auxílios (afinal, o que eles ganham não dá nem pra sobreviver direito, Deus me abane).

Maurício disse...

Poxa vida, quem é esse tal de Maurício?? Hahahaha

Abraços

Monize disse...

ahuahauahuah
adorei!!! Eu não tinha lido no blog antigo... mas ficou muuito boa!
Beijo!