18.6.07

O sino

V - Final
(Partes anteriores: I, II, III e IV)

Encontraram o corpo somente alguns dias depois, já cheirando mal. Por mais que seus hábitos fossem discretos, alguns vizinhos e comerciantes deram pela falta dele, cliente sempre fiel. Não foi preciso procurar pelo apartamento: assim que a porta foi derrubada, ali mesmo, aos pés dela, deram com o sr. D. estirado no chão.
     O que viram chocou até os mais insensíveis: o corpo inteiro havia se retorcido numa agonia dolorosa. No rosto, praticamente desfigurado numa careta grotesca de terror, os olhos saltados miravam na direção da porta, testemunhas de alguma visão terrível. As mãos rígidas seguravam desesperadamente um martelo. O que quer que ele fosse pregar ou arrancar nunca se soube.
     Minutos depois, o apartamento, antes um paraíso de silêncio e ordem, foi tomado por uma agitação que deixaria o sr. D. transtornado. Desarrumaram as estantes, esbarraram em estatuetas, pisaram em gravuras caídas no chão. Descuidados. Policiais, detetives, legistas, testemunhas, ninguém soube explicar nada.
     Não havia nenhum sinal de invasão, nada havia sido levado e a corrente da porta, que somente fechava por dentro, estava intocada até que os vizinhos a estouraram. Nenhuma marca no corpo, nada que acusasse assassinato ou suicídio.
     E, quando o corpo do infeliz sr. D. foi carregado para fora e sua porta fechada pela última vez, ouviu-se o doce bater de um sino inocente.

20 comentários:

Helena Nunes disse...

A ideia era uma visita rápida para ver o teor do blog. Eis que me sai o tiro pela culatra. Dou comigo a ler capítulos atrás de capitulos (e o trab à espera).

Quando cheguei ao fim já estava a imaginar as cenas todas.
Um blog a voltar com toda a certeza.
Bjos

Kati disse...

Puxa, eu esperava um final mais feliz pro sr. D., afinal, novelas sempre acabam com finais felizes.

*Clara* disse...

O sino outra vez... mas de inocente... nada, nada, não é?!

Que fim triste o do Sr.D, seria mesmo ele capaz de morrer diante do medo que ele próprio criou?! Ou algo por trás disso tudo!? Tchan...tchan.....rs

Vai saber!

Beijo e amei o conto...

Parabéns, vc é ótimo.

zana disse...

excelente o melhor que eu já li!!!bjus

zana disse...

tá louco bruno se eu comer pipoca vou arrebentar minha garganta ...rsrsrrs o negocio é tomar caldinho!!! bjus e uma boa semana pra ti!

Adrian Masella disse...

AAAAh caraa!!!
não curti esse finaaal!!!

quem fez aquilo com o Sr. D rapaz???
AAaaaah....agonia do mistério!!

Faz uma continuação!!!

POR FAVOOOOOR

Mas ta muito bom o conto!!!!

Abraço

Pathaua Brasil disse...

puxa, pela quantidade de fotos que tens da Bolívia, creio que não teve olhos para nada além do visor da câmera!
Bem que fez, se não tivesse fotografado, teria guardado essa experiência só para vc!

*postei contrário, o comentário daqui, tá no www.fotolog.com/brunopalma/

Jana disse...

Nunca mais ouvirei a musica "bate o sino pequenino, sino de belem" da mesma forma.

Beijos!

Carol Montone disse...

Tadinho dele....pelo menos foi-se tentando agir né .....
Já te falei, mas repito: seu blog é muito teatral....eu viajo nas cenas...vc é um dramaturgo nato menino...adoro!!!Olha só desculpa meus silêncios...tô perdida nas poucas horas dos dias cheios, mas sua página é uma das minah prediletas....vim aqui tocar o sino hoje para te lembrar..
obrigada pelas visitas e comentários e puxa quems abe o curta vá apra aí sim...eu adoraria...a gente podia se conhecer pessoalmente....sabe de algum festival de cinema aí ou outra oportunidade???é só dizer que a gente vai..
beijão
Carol

Ataualpa S.Pereira disse...

Saudações, Sodale!

Típicamente vitoriano! Não chego a vê-lo como horror, mas sim patológico.

Que os Sr. D. descanse em paz acompanhado de eternas badaladas.

Um abraço!

Bia Ferreira disse...

Certa vez tu me disseste que tinha inveja de meus longos contos.... Pois hoje eu tenho que ser recíproca... Muito bom, não é horror, não tem monstros... por isso parece tão assustador...
Sua imaginação é um tanto macabra... espero que só a use para a boa literatura.. rsss
beijo

Jane Malaquias disse...

Ainda bem que não esperei a semana toda e li tudo de uma vez,he,he,he.

Anônimo disse...

Ah... Num gostei do final triste do Sr. D...

Bj

Alf. disse...

wowwwwwww... palmas, palmas...

*emocionado*

cara esse final foi tudo... poderia ter um pouco mais de "sangue" se é que me entende. Mas, foi perfeito...

Nathalia disse...

seu blog acaba de ganhar o premio Blog com Tomates, da sua nova leitora.
http://nathalia0105.blogspot.com/2007/06/prmio.html

aadami disse...

Quem diria, hein? O sr. D. foi vítima de seu apuro excêntrico. Não fosse tão só (e parece que o era por opção), teria procurado ajuda. Com isso, talvez, sua vida se prolongasse por mais um ou dois episódios... Daí, possivelmente ele frequentaria um psiquiatra, ligaria para a namorada, a ex-mulher, o melhor amigo. Todos diriam que estava ficando louco. "São só sonhos!", diriam. E o sr. D. morreria do mesmo modo, agonizando horrorizado. Mas fosse assim poderia cair no lugar comum, a história não ficaria tão boa. Enredo excelente. Final excelente. Stephen King na veia. Gostei mesmo!

...Danizita... disse...

... Ai o final podia ser diferente, né ...

Já vi que finais tristes não combinam cmg...rs

Bjs

Claudia Lis disse...

Ih, o sr. D. se foi mesmo!!! Não creio nisso!!! Essa não!!! Que sino maldito é esse? Uma espécie de badaladas da morte? Ou seria “O Chamado”? Cruzes! E esse sino continua solto, badalando por aí? Que perigo! “E quem será a próxima vítima???” Já sabe que a partir de agora eu quero distância de sinos né?

Até... um possível próximo ataque do sino das trevas? Será?

De Niro disse...

Olha, bem escrito. Mas eu achei sutil demais.

Deve ser o costume com filmes de terror :P

Eduardo disse...

Excelente!!! Super bem escrito, fui lendo e imaginando tudo a cada palavra, o final fechou bem o mistério... Quem leu certamente botou a imaginação pra funcionar depois.